All around me Cabelos

Autoconfiança depois dos 30 ou… como largar o cabelão.

cabelos_curtos_autoconfianca

Tive vontade de escrever este post há algum tempo quando cortei os cabelos e depois de e recebi uma enxurrada de perguntas a respeito. Mas os meses passaram, cortei meus cabelos ainda mais curtinhos e as perguntas das leitoras e amigos, voltaram a tona.

Mas Cinthia, você vai escrever um post sobre cortar os cabelos curtos, que é uma coisa tão banal e que milhares de mulheres fazem todos os dia ? Calma, se você está pensando isso é porque faz parte da minoria que é desapegada e merece uma estrelinha. 

É engraçado demais como muitas mulheres, principalmente as brasileiras, usam os cabelo mais longos como um dos maiores símbolos da feminilidade e poder. Síndrome de Sansão total, fazem parecer que uma simples tesourada pode acabar com suas forças e seu reinado.

Uma das coisas que mais ouvi neste tempo todo foi:  “E aí, o que seu marido achou ?” ou “Ainda bem que você já é casada né ?” Como se ter cabelos curtos fosse algo altamente criticado pelo sexo masculino e necessitasse de aprovação social.

Mas se tem uma coisa que aprendi na vida, principalmente relacionado a beleza, é que tudo tem seu tempo, sua fase e vou contar um pouco sobre a minha experiência sobre isso tudo.

Sempre fui uma pessoa de mudanças rápidas e se um dia acordo com vontade de mudar, vou lá e mudo. Foi assim quando resolvi colocar piercing (já tirei), quando resolvi fazer minha primeira tatuagem, quando resolvi dar um basta no meu ex, quando resolvi dar um tempo na vida e mudar de cidade, quando decidi ficar totalmente loira e claro…quando resolvi cortar 40 cm de cabelo. Umas coisas mais complicadas, outras mais estúpidas, mas sempre assim…paro, penso, vou lá e faço. Adoro mudar.

Lembro que por volta dos 15, quando eu tinha cabelo na cintura, acordei e disse: vou cortar os cabelos. Cortei chanel (única vez que tive cabelo curto antes da fase atual) e gostei bastante. Mas amigos e conhecidos me criticaram tanto que eu rezava todos os dias para meu cabelo crescer de novo. Acho que na época passei uns 2 anos sem ver tesoura e quando ia cortar, ficava maluca se tirassem mais de 2 dedinhos.

Mas se na adolescência ou no início da idade adulta a preocupação com a opinião dos outros era tão importante, a idade vai chegando e você vai mudando. Eu era destas que sempre achava que todas as mulheres do mundo eram melhores que eu, como se beleza tornasse alguém melhor do que o outro. Sempre fui perfeccionista e crítica a ponto de ouvir maquiadores elogiando minha pele e ter certeza que estavam sendo sarcásticos. E felizmente isso foi mudando e a cada ano que passa fico mais desencanada.

“Nossa como você está magra”…”Puxa, acho que você engordou”…”Credo, você come demais”…”Ai, preferia você loira”…”Teu cabelo era tão lindo”… blah, blah, blah! O que cada vez mais importa para mim, é estar feliz do que jeito que eu gosto.

De uns 2 anos para cá minha relação com o espelho mudou absurdamente e por mais que eu sinta a pele não tão mais firme, me desespere um pouco com as primeiras linhas faciais, poros mais abertos e meu maldito vitiligo aumentando, eu não ligo nem 30% do que ligava antes. Já fui a pessoa mais neurótica do mundo e se alguém olhasse demais para mim eu jamais acreditaria que era algo positivo e corria para o espelho e ver o que estava errado.

Há tempos eu tinha vontade de ter cabelos curtos. Comprava perucas para testar, mas sempre caia na dos outros que diziam, “Nossa, você é maluca de cortar um cabelão saudável deste”. Pois cada vez que eu via um corte curto inspirador, parava, lembrava disso e desistia.

Eis que chegou a hora de cortar e eu estava absurdamente ansiosa. Para minimizar o risco de me arrepender, cortei os fios no ombro (aqui). Adorei o resultado e saindo do salão já avisei o Alvim que voltaria em breve para cortar mais. O cabelo cresceu e lá fui eu cortar um chanel curtinho (aqui). Pronto, este foi o “ponto de virada” (saudades do curso de teatro). Pode parecer ridículo dizer que alguns centímetros de cabelo a menos me fizeram amadurecer tanto emocionalmente. Finalmente mais um corte (agora) ainda mais curto e a certeza de que eu realmente mudei, por fora e por dentro.

Os cabelos compridos são escudos femininos perfeitos. No dia que o cabelo está bom, até as roupas vestem melhor. Comigo era assim. A cara não estava legal, sem problemas, era só estar com cabelos impecáveis e pronto. Nada que um mega babyliss não desse jeito. Mas na ausência deles o que fica em voga é sua face, ou encarnando uma real pisciana,….sua alma.

Parece que sem os cabelos escondendo parte do rosto e até do corpo eu fiquei mais livre, mas confiante e mais desinibida (ui!). Ao contrário do que muitas acham, eu me sinto muuuuito mais feminina do que antes. As roupas vestem melhor, as bijoux ficaram mais bonitas e minha única fase de “bad hair day” é quando meu cabelo cresce um pouco e eu fico maluca para cortar de novo ;) Mas obvio que não foram apenas os cabelos, mas o combo cabelo + idade + maturidade.

Quando eu tinha cabelos longos e loiros o assédio na rua era muito maior (coisa que eu odeio absurdamente) e sem parâmetros, sabem ? Como se todos os homens olhassem obrigatoriamente, pois era uma loira de cabelão passando, sem importar o que havia por baixo daquilo. A estúpida e repugnante cultura da mulher objeto. “Ohh loirão”.  Aí que ódio disso. Com os cabelos curtos e escuros o foco mudou. Percebo olhares mais discretos, mais respeitosos e até elegantes (antes que me perguntem, sim, meu marido vai ler este post e não vai achar nada de errado neste comentário), como se cabelos curtos atingissem algo diferente ou até intimidasse mais o sexo oposto. Talvez por ter ficado com uma aparência mais séria, mais segura ou mais diferente, não sei dizer….mas que mudou mudou e é muito engraçado observar isso.

Sabem aquela coisa de evitar decotão + saia curta ? Ou evitar shorts curtinho + salto ? Pois acho que com cabelo é mais ou menos isso. Um cabelão loiro já rouba mais da metade do foco do visual, enquanto um cabelo mais curto te dá espaço para ousar mais no resto. Talvez por isso que muitos dizem que mulheres de cabelos bem curtinhos, bem maquiadas e arrumadas, roubam a cena.

Já a geração mais antiga parece ter uma opinião diferente. Meu vô me deu uma bronca absurda quando cortei os cabelos curtos quando era novinha, já meu pai me viu agora, depois do último corte, e disse que eu estava muito estranha. ahaha. Sinto que outras gerações acabam linakando o cabelo curto à idade adulta, aquela fase que a mulher vira mãe e vai correndo cortar os cabelos. Parece que a juventude vai embora junto com os fios longos. Uma comédia isso.

Agora o que meu marido achou disso tudo ? Ele adorou. Foi dele a ideia de ficar mais loira em uma época, era dele a ideia de sugerir um cabelo ondulado e bagunçado e ele mesmo acabou achando que eu fico melhor com cabelos mais escuros. Na verdade ele sempre fala que adora mudanças. Afinal, 10 anos exigem upgrades para não enjoar né hahaha. A única coisa que ele diz não aprovar é franjinha. Toda vez que comento sobre minha vontade de cortar a franja ele me olha com reprovação. Mas óbvio que o dia que me der esta vontade cortarei assim mesmo e pronto ;).

A vantagem de tudo isso é que cabelo cresce. Hora que eu enjoar e quiser deixar os cabelos crescerem novamente, o farei. Quem sabe assim será uma nova mudança, uma nova fase e uma nova descoberta. Só sei que as vezes a nossa cara precisa de uma configuração nova e basta se conhecer melhor para saber o momento certo para isso.


You Might Also Like...

  • Renata Vitória Bonifácio e Souza
    dezembro 4, 2014 at 1:18 pm

    Cinthia, adorei o texto!! Super concordo e acho os cabelos médios e curtos muito mais elegantes e modernos, passam segurança e valorizam o rosto bonito! Ficou show! Meu preferido é o corte nos ombros, mas agora ta lindo demais tb! Arrasou! Bjs

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 11:01 am

      Obrigada ;)
      mas daqui a pouco ele chega no ombro…ou mais…ou cortarei…enfim, cada hora de um jeito rs.
      bjs

  • Carol
    dezembro 4, 2014 at 1:20 pm

    E é justamente pela sua autoconfiança que as pessoas estão te achando tão linda! Obrigada por compartilhar sua experiência e percepções com a gente! Muita gente que conheço precisa ler esse post…

  • Adriana Araujo
    dezembro 4, 2014 at 2:24 pm

    Cinthia!

    Cabelão… cabelinho… Antes de ver o seu primeiro corte, já estava ensaiando para cortar o cabelo… Depois que vi, não hesitei! Cortei meus longos fios castanhos!
    Sim… praticamente o mesmo corte… (não é inveja, hein?, inspiração sim).
    Gostei muito do último corte também… mas não sei se fica bom para mim… pois meu rosto é maior e quadrado.
    Também pactuo da mesma opinião quanto ao corte de cabelos… o cabelo cresce! Na adolescência fiz um corte Joãozinho… Gosto de cabelo comprido, mas também sou fã do curto! Assim, vou alternando quando enjoo do cabelão… rsrsrs

    Beijos!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 11:00 am

      Puxa que legal. Me sinto honrada em servir de inspiração ;)
      E sempre que tiver dúvida sobre um tipo de corte é bom falar com quem entende mesmo. pq o importante não é cortar por cortar né…É ver se o corte vai te deixar mais bonita.
      Bjs

  • Lola
    dezembro 4, 2014 at 2:40 pm

    Ai como é bom ver uma mulher com uma opinião sensata, que está aberta a mudanças!
    Devo ser uma exceção, porque desde a minha adolescência não uso cabelos longos. Tenho cabelos escuros e cacheados que sempre chamam a atenção, mas logo depois dos 15 fiquei de saco cheio do trabalho que dá cabelo longo, e comecei a cortar.
    Sempre tem aquele povo chato “ah, deixa crescer”, “cabelo longo é mais bonito” “ai, é uma maldade fazer isso com teu cabelo”
    Geeente! Cabelo cresce! Não vou morrer por isso adoro mudanças (desde que alisar o cabelo não seja uma delas), sempre achei cabelos curtos mais bonitos do que longos, não importa a cor, modelo ou estilo.

    Acho que mulher que tem apego com uma coisa tão simples (e que cresce!) precisa amadurecer um pouquinho :X
    Tentem variar no corte, vocês vão se apaixonar por si mesmas mais vezes e a cada vez que se olharem no espelho ;D

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:59 am

      Quem bom que vc é desapegada ;) Mudar é muito importante as vezes. Acho que o visual acaba acompanhando momentos da vida e isso é muito bacana.
      E eu já odiei ter cabelo liso e fiz até permanente quando era novinha ahaha. Mas depois me acostumei com a ideia.
      bjs

  • Joyce Coelho
    dezembro 4, 2014 at 2:42 pm

    Cinthia adorei o texto e me sinto do mesmo jeito. Já cortei o cabelo curto pelo menos 5 vezes e já tive o cabelo abaixo da cintura, loiro e castanho (natural), e toda vez que corto as pessoas me bombardeiam com criticas, como se fosse feio ter cabelo curto, como se o que eu tenho a oferecer são apenas lindos cabelos longos, a frase mais ouvidas são “você é louca” e “porque você fez isso?”, as vezes da até vontade de ser grossa, mas só consigo sentir pena de quem a vida toda vai acordar e olhar no espelho com a mesma cara.
    Beijos!!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:57 am

      Verdade….eu não me imagino tento a mesma cara em todas as fotos da minha vida…ahahah Adoro olhar o passado e ver cada hora uma cara nova representando um momento que eu vivi.
      Bjs

  • Monique Silva
    dezembro 4, 2014 at 3:39 pm

    Concordo plenamente com você, e acho que a maioria das mulheres (não todas) que tem cabelo comprido colocam neles a (baixa) auto estima. Apesar dos meus estarem longos agora, a minha vida inteira os mantive curtos, e continuo achando que cabelo curto é infinitamente mais elegante e mais chique. Os seus estão lindos!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:48 am

      Eu acho que curtos ou compridos eles tem que ressaltar o que a mulher tem de melhor e não esconder. Vejo tanta gente com rosto incrível que mal aparece embaixo dos cabelos :( Mas tb há mulheres que se beneficiam muito com um cabelo mais comprido. Mas mudar é sempre bom.
      Bjs e obrigada

  • Dani
    dezembro 4, 2014 at 3:55 pm

    Nossa, me identifiquei muito com o seu texto, eu poderia ter escrito. Com a diferença de que eu já tive cabelos curtos mais de uma vez.
    Concordo também com os comentários acima, quem tem apego a cabelo precisa amadurecer, no sentido de que muitas vezes o cabelão funciona um pouco como escudo e o cabelo curto exige uma autoconfiança que talvez as mulheres mais novas ainda não tenham…
    E reparei também isso que você falou, o cabelo longo também chama mais a atenção no sentido de abordagens desagradáveis, mas isso não quer dizer que homem não goste, e sim o tipo de homem que sabe apreciar uma mulher de cabelo curto talvez não seja o mesmo que fica cantando mulher na rua, se é que você me entende ;-)

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:47 am

      Que legal ;)
      E sobre os homens…é bem isso mesmo. É tão bom atrair homens gentis e educados né rs.
      Bjs

  • Claudia
    dezembro 4, 2014 at 4:16 pm

    Cinthia

    Está lindíssima com esse cabelo!!!
    Eu adotei, na maior parte da minha vida, os cabelos médios. Acho que combina melhor com meu rosto e meu tipo de cabelo. Mas já usei bem curtinho também.
    Engraçado é que quando se é novinha, vinte e poucos anos, o corte curto te “envelhece”. Você parece instantaneamente mais madura. E agora, que estou nos quarenta e poucos :{ é contrário. Sempre que encurto os cabelos dizem que eu “rejuvenesci”. Ha ha ha

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:45 am

      Obrigada ;)
      E eu acho que envelhecer e rejuvenecer tb vai além do comprimento. O estilo do corte influencia muito nisso tb. Pode ser um curtinho careta, sexy ou mais doidinho ;)
      E parecer mais nova é o que todo mundo quer né rs.
      Bjs

  • Norma
    dezembro 4, 2014 at 10:09 pm

    Cinthia, pode me dar a minha estrelinha, pois sou dessas. :-) Nunca tive pena de mudar, cortei curto de muitos jeitos a partir dos 20 anos. Com 38, deixei crescer para mudar, e ficou longo até os 43, quando cortei curto de novo e estou adorando. É muito bom poder mudar de tempos em tempos. E concordo, o cabelo curto parece que dá um toque a mais de personalidade em um look bem pensado.

    Esse seu cabelo novo é totalmente a sua cara. :-) Olho suas fotos de cabelo longo e loiro e nem acredito que é a mesma pessoa, hehe!

    Abraço!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:43 am

      eeee ;) adoro.
      Eu acho ótimo usar o cabelo como acessório e mudar de cara quando quiser. Cortar, pintar…é tão legal ;)
      E eu tb estranho muito vendo as fotos antigas ahaha
      bjs

  • Alba
    dezembro 5, 2014 at 6:58 am

    A vida é assim! Tinha meus cabelos na altura dos ombros, em estilo Chanel. Eu estava com 25 anos, então, quando me cansei de tanto calor no pescoço, e cortei curtinho, como está desde então. Todo mundo lamentava o fato de eu não deixar os cabelos crescerem, e um colega até falava que achava masculino, e me perguntou o que meu marido achava. Falei que ele não tinha de achar nada, que o cabelo é meu e faço com ele o que quiser! Eu sou Capricórnio, e comigo não tem muita conversa. Hoje, com 39, sigo com meus cabelos curtinhos, todo mundo já acostumou, e meu marido nunca reclamou, até gosta, porque meu rosto é oval, fino, e com o corte, aparece mais.
    Não tem idade, estado civil, nada. Se você quer, faça!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:42 am

      Então, eu vejo mais preconceito entre as mulheres do que entre os homens…é muito louco isso rs.
      E sem dúvida o rosto fica bem mais em destaque sem um cabelão por perto ;)
      Bjs

  • Talita
    dezembro 5, 2014 at 7:44 am

    Cinthia, parabéns!!! Como concordo com o que você falou!
    As pessoas agem bem assim mesmo, mas gosto muito do cabelo curto prá mulher! Acho que o cabelo curto diferencia a gente do restante, de uma forma boa, pois o “padrão” realmente é o cabelo comprido e isso causa um estranhamento grande, principalmente entre as mulheres. Sua louca, cortou o cabelo!!!!
    Um abraço!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 5, 2014 at 10:41 am

      Pois é…e em outros países é algo tão comum né rs. Mas cultura é cultura.
      Bjs

  • Bruna
    dezembro 5, 2014 at 8:24 am

    Também me identifiquei muito com esse post! Sou totalmente a favor do desapego capialr, hehe. Quando cortei meu cabelo bem curtinho (quase joaozinho), me senti tão linda, única, livre! Senti que podia fazer o que quiser e me sentir bonita mesmo não seguindo o “padrão” feminino. Parabéns pelo texto! Muito inspirador :)

  • Bia Pinheiro
    dezembro 5, 2014 at 12:37 pm

    Oi Cinthia! Acho que vim aqui poucas vezes! Leio muito seus posts através da newsletter por causa do tempo curto! rs

    Essa sua postagem meio que “lavou minha alma”. Eu recentemente tive que cortar meus cabelos para retirar toda a química e deixar o meu cabelo natural (crespo) crescer no lugar. Meu cabelo ficou muuuito curtinho, corte masculino, sabe? Houve tanta gente dizendo que eu era doida, que o cabelo ia me deixar menos mulher… Enfim! Encarei o desafio e fui. Não me arrependo, mas guardarei pra sempre uma das sensações mais engraçadas que tive: na primeira semana do grande corte (Big Chop)eu jurava que meu cabelo não estava curto e sim preso. Tomava susto toda vez em que me olhava no espelho e não via o cabelão! hahahaha. Já aconteceu com você?

    Beijos e obrigada por me representar! ♥

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 8, 2014 at 9:54 am

      Puxa obrigada ;)
      E sim, no começo eu olhava p espelho e assustava sim ahahah, mas é divertido. E a Mah do Blzinterior.com.br fez bem isso que vc fez e o cabelo dela está lindo agora.
      Bjs

  • Joana
    dezembro 5, 2014 at 4:47 pm

    Cinthia, adoro o seu blog. Acho vc lindíssima!
    Esse post foi realmente inspirador e motivador, no meu caso não só para o corte, mas também e principalmente, para tentar desapegar da bendita química de alisamento que já faço (pasme) há 18 anos! É uma dependência enorme e, ainda, não muito saudável…
    Parabéns pela coragem!
    Abs.

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 8, 2014 at 9:53 am

      Obrigada ;)
      E puxa…se livrar da química agressiva é bem positivo viu. Dá uma olhada no blog blzinterior.com.br que a Maraísa fez bem isso e ficou linda.
      Bjs

  • eve
    dezembro 5, 2014 at 6:16 pm

    Eu na adolescência tive cabelo curto, até no estilo joaozinho, depois por volta dos 25 comecei a deixar crescer e apartir dos 30 ele estava enorme e muito bem cuidado, todos elogiando, mas me dava vontade de cortar, sempre gostei de mudar, variar o corte. Eu via o seu cabelo e morria de vontade de passar a tesoura no meu, mas aí todos ficavam comentando que o cabelo estava lindo que eu não devia cortar, marido adorava o cabelão. Até que um dia resolvi mudar e fazer o que a tempos estava me dando vontade e cortei curtinho, e amei. Sabe que recebi muitos elogios inesperados, e até o marido gostou. Acho que o cabelo curto te dá mais liberdade, praticidade e deixa o rosto mais exposto. Agora passei até a gostar mais de usar um batom mais escuro ou chamativo porque fico achando que com o cabelo curto dá mais personalidade e realce. Não entendo o apego das mulheres por algo que cresce e que é muito mais divertido estar mudando, seja de cor, corte ou tamanho.
    Cinthia adoro o seu cabelo e você ficou muito elegante e feminina com esse corte, também me animou a cortar o meu ( que é um corte bem diferente do seu ).
    Adorei o post. O único problema do curto é que dá cada vez mais vontade de cortar.
    beijos

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 8, 2014 at 9:52 am

      Puxa que delícia ouvir isso ;) É tão bom quando inspiramos pessoas positivamente.
      E cabelo curto é mania mesmo ahahah Eu só não corto mais pq nunca tenho tempo de ir no salão.
      bjs

  • Juliana Amorim
    dezembro 9, 2014 at 11:46 am

    Esse post deveria ser lido por todas as mulheres ! Grito de independência ! Hahaha…

    Brincadeira à parte, compartilho o mesmo ponto de vista…todas nós passamos por diversas fases e por muito tempo achei que mulher só era bonita com cabelão.
    Nada contra…continuo achando lindo, mas infelizmente muitas mulheres não se enxergam de outra maneira, talvez por insegurança, opinião masculina (a velha história que homem gosta de cabelo comprido…bla, bla, bla) e principalmente por não se conhecerem de verdade.

    Em Fev/2015 completo 30 anos e minha opinião mudou muito em relação ao conceito de beleza…me sinto muito mais segura para ousar no visual, pois sei exatamente o que gosto, o que fica bem ou não e vc tem sido uma inspiração de mulher linda, elegante, inteligente e sofisticada !

    Se te admirava antes…hoje mais ainda ! Quando crescer quero ser igual à vc ! Hahaha…

    Um gde bjo !

  • Gabi
    dezembro 9, 2014 at 5:22 pm

    Vc já era linda! Mas realmente, de cabelo curto ficou bem melhor! =)

  • Chata de Galocha! | Lu Ferreira » Arquivos Links da semana: makes, autoconfiança e feminismo - Chata de Galocha! | Lu Ferreira
    dezembro 9, 2014 at 7:04 pm

    […] Autoconfiança depois dos 30.. Ou como largar o cabelão […]

  • Aline
    dezembro 9, 2014 at 7:26 pm

    Cortei os meus cabelos curtos há 1 ano e meio para me livrar da química e, sem brincadeira, nunca recebi tantos elogios masculinos. Sim, cabelos curtos e cacheados (o inverso do “padrão” de beleza longo+liso) me rendem muito mais elogios e cantadas do que a época que eu era adepta dos alisamentos.
    Agora ele cresceu, já passou do ombro e está bonito. Mas as vezes me pego com saudades da minha nuca de fora…

    Como já comentei no outro post: vc está mais linda e elegante!
    Bjos!!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 11, 2014 at 9:56 am

      Pois é Aline, não é incomum mulheres se surpreenderem com isso ;)
      Mas vc já viu como é legal e o dia que der a louca vc corta de novo. O importante é poder variar quando quiser né.
      Bus e obrigada

  • Nara
    dezembro 9, 2014 at 7:42 pm

    Oi Cinthia! Tb sou mais uma que amei o texto.
    Confesso a vc que também queria poder cortar meu cabelo bem curtinho, porém, por ser bem cheio creio que não daria certo para mim.
    Atualmente estou com o cabelo cumprido, de um jeito que nunca esteve em minha vida, pq quase todo o tempo o mantive no ombro e agora ele está no meio das costas, porém, estou namorando um corte de cabelo tipo chanel já faz um tempinho e estou me segurando para não cortar (por enquanto!) pelas seguintes razão: nunca tive cabelo realmente grande e, se ñ for p/ ter agora, acredito que ñ terei mais; o segundo motivo é que serei madrinha de casamento de uma amiga, então, aquela boa e velha história de penteados anda em minha mente e por isso não cortarei.
    Assim que der farei o mesmo que vc, porém, seu primeiro corte será o meu escolhido.
    No mais, vc é linda com cabelo grande ou cabelo curto. Sorte sua poder abusar dos mais variados tipos de cortes de cabelo.
    Beijo :*

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 11, 2014 at 9:55 am

      Nara, quando decidir cortar consulte antes um visagista. Ele saberá te dizer o corte indicado para seu tipo de cabelo, seu tipo de rosto e seu estilo de vida ;)
      E muito obrigada pelo carinho.
      bjs

  • luiza
    dezembro 9, 2014 at 8:08 pm

    Oi Cinthia, adorei o texto e concordo com tudo que você di. É costume antigo associar o tamanho do cabelo com a idade e a maturidade. Infelizmente ainda não consegui cortar meu cabelão, que uso assim há anos. (Tenho 26 anos) Mas sinto cada vez mais vontade de cortar e tenho certeza que quando conseguir, será associado a mais maturidade da minha parte. Beijos

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 11, 2014 at 9:54 am

      Luiza, espere o momento chegar ;) Corte quando tiver realmente com vontade de mudar. Só mantenha a mente aberta e saiba que mudanças as vezes fazem um bem danado ;)
      bjs

  • Juliana
    dezembro 10, 2014 at 8:39 am

    Esse cabelo é lindo de qualquer jeito Jesus!!!! Rs. Eu cortei pra doar para um projeto que faz peruca para pacientes com CA e aí sim que fique felizzzzzz mesmo!!!! Minhas pacientes brincavam quem ia ficar com a peruca que tinha meu cabelo rs. O importante é estar bem e fazer o bem não importa a quem (como diz o ditado) né. Continue linda. Bju bju bju Ju.

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 11, 2014 at 9:53 am

      Obrigada.
      E sua atitude foi maravilhosa ;) Já acho legal quem corta pq quer e doa, imagina cortar já com a intenção de doar. Lindo…parabéns!
      Bjs

  • Deise Ribeiro
    dezembro 10, 2014 at 11:18 am

    Olá Cinthia,

    Amei, penso exatamente como você! Acho um absurdo os homens que “querem” mulheres de cabelos longos, acredito que temos a fase certa para cada cumprimento de cabelo.
    Seu cabelo é lindo e fica perfeito com qualquer corte! Me inspirou!

    bjs

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 11, 2014 at 9:52 am

      Obrigada ;) Acho que só nosso espelho pode dar alguma opinião né rsrs
      Bjs

  • Renata
    dezembro 11, 2014 at 12:10 am

    É isso aí! Cortar cabelo é bom de mais!!! Passei um ano inteiro cortando o cabelo de várias formas e adorei. Nunca me preocupei com esse negócio de rapunzel, sempre deixei o cabelo crescer e depois de uns 3 anis cortava curto. E acho também que o rosto fica melhor emoldurado com o cabelo curto. E as variações que se pode fazer é muito mais bacana. E viva a tesoura!!! Tô com 36 e não tenho mais paciência pra cabelão batendo no bumbum…

  • Maísa Pimenta
    dezembro 11, 2014 at 10:30 am

    Oi, Cínthia, sou nova por aqui. Amei o texto! E vc tem o privilégio de poder testar as coisas pq seu cabelo é lindo de qualquer tamanho! Ouse mesmo, adorei! ;)

  • Mariana
    dezembro 11, 2014 at 6:39 pm

    Ai, essa reação das pessoas ao verem a gente de cabelo curto é muito engraçada mesmo!
    O meu eu fui diminuindo aos poucos.. da cintura pros ombros, do ombro pra maxilar.. até que eu cortei quase um Joãozinho, rs.
    Gosto de variar entre o comprimento, mas depois que eu “radicalizei” pela primeira vez, nunca deixei passar do meu ombro de novo. Ficar com a nuca fresquinha é outra coisa.
    As pessoas estranham mais no meu caso principalmente por ser “novinha” (21). A mulherada até gosta, acha diferente, ousado… e é engraçado essa questão dos homens! Eu vejo que agora os que mais me olham são os que tem um estilo parecido com o meu (graças a deus! haha).
    Enfim. Acho mudanças sempre boas e libertadoras! A mulherada tem que aprender a ligar menos com o que os outros acham mesmo…
    Ótimo texto! :)

  • Gabriela
    dezembro 13, 2014 at 9:14 am

    Me senti abraçada por este texto Ci! Já fazem alguns meses que passei a tesoura radicalmente nos fios sem nenhum aviso prévio – e para ser sincera, nem eu mesma sabia que iria voltar para casa sem palmos e mais palmos de cabelo. Foi muito engraçado isso, porque no começo eu estranhei muito, já que o cabelo mais curto que tive foi um chanel assimétrico, mas depois eu passei por uma fase onde a beleza de uma forma geral passou a ser secundária, um acessório que reafirma o mais importante: minha personalidade. Então veio essa fase de liberdade, maturidade e mudanças.

    Vejo as mulheres que me rodeiam e quase todas tem cabelos muito longos. Muito mesmo! Quando me viram com o cabelo curto, foi como se tivesse sido com elas: bateu aquele desespero só de pensar em ficar sem os fios. Mas acho que é como você disse, tudo tem seu tempo. Só sei que nunca me senti mais feminina e bonita em toda a minha vida!

    Amei seu corte e acho que combinou perfeitamente com você. Não só com o seu rosto e corpo, mas com a fase da sua vida. Você ficou ainda mais bonita!

    Beijos!

  • Júlia
    dezembro 13, 2014 at 12:57 pm

    Gente, que corte lindo! Ficou lindo, aliás, em todas as fases de cabelo mais curto. Pura inspiração. Ah, seu cabelo cresce muuito rápido! hahaha

  • Laura
    dezembro 23, 2014 at 4:33 pm

    Ai ai Chintia , sei bem como é isso, eu tinha madeixas loiras de um comprimento enorme, e hesitava muito em cortar pois todos falavam que meu cabelo era lindo daquele jeito e que se eu cortasse ia ficar ridículo, ainda mais por eu ter cabelos ondulados, ai um dia acordei e falei “Quer saber, o cabelo é meu” e cortei! Foi a melhor coisa que eu fiz! Me sinto mais leve, mais solta pra ousar nas makes e nos look sem medo do cabelo roubar a cena e principalmente, bem mais confiante! Amei seu post, principalmente pelo fato que sua experiencia foi idêntica a minha! Tanto a ação quanto a reação! Kkkk

  • samira
    dezembro 24, 2014 at 5:10 pm

    como é engraçado, porque estou passando pela mesma mudança. um dia acordei sabado e entrei no seu blog, e vi que vc tinha cabelo longo (conhecei seu blog e vc ja os tinha curtos e eu sempre gostei), e vc falava da mudança e tals. me encheu de coragem de tirar qase um palmo de cabelos, e foi o que fiz no mesmo dia! rsrsrs e incrivel como adorei! tb me senti mais segura, mais leve! é como se eu precisasse mudar um pouco, tirar aqele cabelão de menina que não combinava mais com minha rotina e com a nova mulher que estou me tornando. meu medo era meu noivo nao gostar, pq ele sempre criticava qdo dizia q qeria cortar… daih cheguei em casa e mandei uma foto para ele, e me surpreendeu mto o comentario: disse que gostava mais deles longos, mas que eu continuava linda! rsrs agora quero cortar mais, hahahhaa!!!! bjooos adoro seu blog!!

  • Tais Jorge Moro
    março 11, 2015 at 7:50 pm

    Oi, adorei ler teu post, pois a tempo penso em cortar no ombro pra mudar e tenho medo de não me gostar, sempre tive cabelao, mas esse ano tô me coçando louca pra passar a tesoura, meu medo é, será que não vou parecer mais gorda de cabeça curto? Tô uns kilos acima do peso, mas nada exagerado, mas fico com medo de parecer maior 😜. O que tu acha sobre isso? Quero uma opinião! Bjoo

    • Cinthia Ferreira
      março 12, 2015 at 4:36 pm

      Puxa Tais, todo mundo perguntou se eu emagreci quando cortei ;) Eu acho que quando aparece o pescoço dá impressão que emagrecemos ;)

      Bjs

  • Tais Jorge Moro
    março 13, 2015 at 9:48 am

    Pois é fui vendo tuas fotos e achei isso! Vou criar coragem! Bjo

  • Gisele
    novembro 12, 2015 at 3:19 pm

    Cinthia, obrigada pelas palavras. Acho importantíssimo que as mulheres brasileiras leiam conteúdos assim para entenderem de uma vez por todas que não somos definidas por um cabelo longo. Acho insana a fixação que a brasileira tem pelo próprio cabelo, mas, suspeito, não seja bem um problema da “brasileira”, mas sim do “brasileiro”. Explico: os anos me mostraram que os padrões de beleza incutidos na nossa realidade social são (sub)produtos de uma cultura de objetificação da mulher. O machismo ditou as regras das nossas roupas, cabelos e maquiagens desde sempre, como o corpo da mulher fosse apenas uma coisa a ser adornada aos caprichos dos homens. E não é! Somos livres para sermos quem quisermos! Somos livres para usarmos todos os tipos de cabelo da face da Terra! Somos livres para viver com ou sem a aprovação da sociedade! Não é o marido que tem que gostar do corte de cabelo, não são as outras pessoas que precisam aprová-lo, mas sim a própria pessoa. Luto por um mundo onde cortar os cabelos não seja algo repreensível; mas, até lá, que quem o faça sinta a sensação de liberdade que a atitude proporciona. Um beijo :)

  • Janaína
    dezembro 26, 2015 at 5:52 pm

    Tô com quase 30 e seu texto caiu muito bem com as minhas experiências, sempre tive cabelão e amigas reprovavam que eu cortase, com a moda do Long Bob eu aproveite para me libertar do cabelão e estou amando cabelo mais curto.

  • Gabriela
    fevereiro 12, 2016 at 3:25 pm

    Adorei seu texto! Acho lindo cabelo curto, mas sou muito apegada ao meu cabelão, que nem é tão “ão” assim. O problema é que quando era mais nova, uma vez cortei ele no ombro e detestei. O engraçado é que foi o contrário, todo mundo adorou meu cabelo curto, menos eu. Eu sentia uma falta absurda das minhas madeixas… e o pior que meu cabelo sempre cresceu rápido, mas depois disso, ele passou a crescer só até um certo ponto, e depois não cresce de jeito nenhum.
    Mesmo achando lindo outras mulheres de cabelo curto, não tenho coragem de cortar. Porque sempre fico pensando que não vou gostar e que depois ele não vai mais crescer como antes.