Dicas de Viagem Geral Makeup

Museu Max Factor ou “A história da maquiagem moderna”.

O Post abaixo foi publicado originalmente em Dezembro de 2011 mas achei bacana republicá-lo pois hoje é um dia importante para as apaixonada por maquiagem e de lá para cá, sei que tenho muitas novas leitoras que merecem saber um pouquinho desta história.

Hoje é o lançamento nacional da marca Smashbox que foi fundada pelo fotógrafo Davis Factor, neto de Max Factor. Eu amo há marca há muitos ano, já usei inúmeros produtos e não via a hora dela chegar por aqui. Enquanto eu não faço post desta super novidade que já está na Sephora, deliciem-se com um pouquinho do que era a maquiagem nos tempos das divas de Hollywood.

…………………………………………………………………………………………………………………………..

Impossível falar sobre a maquiagem atual sem citar Max Factor. Se aqui no Brasil a marca hoje em dia é pouco conhecida (apesar de que quem ama maquiagem já viu pelo menos um pan cake da marca), ela faz parte da história do cinema de Hollywood e é lembrada em museus e até em parques de Orlando.

Quando estive em Los Angeles há 2 meses (contei aqui), o Museu de Hollywood (antigo Museu Max Factor) fez parte do meu roteiro. E por mais que lá dentro estivesse cheio de objetos e figurinos famosos, meu intuito era apenas um, visitar a exposição de Max Factor.
.
O museu fica no prédio Max Factor, onde era o primeiro museu da marca e antigo salão de beleza.  Depois de um tempo fechado, reabriu com apenas meio andar destinado a Max Factor e o restante do prédio repleto de artigos usados em séries e filmes de Hollywood. O museu não é grande, mas mantiveram várias  salas de maquiagem restauradas e repleta de itens curiosos . Lá pude ver produtos reais utilizados pelas grandes divas, equipamentos bem interessantes e até mesmo assistir um filminho sobre a história da marca.
.
Tentei resumir o máximo possível para o post não virar um livro, por isso coloquei mais um monte de fotos neste album aqui. Vale a pena dar uma olhadinha.
Max Factor (ou Maksymilian Faktorowicz), um judeu cujo o pai era maquiador da família real Russa, mudou-se para Los Angeles com a família e começou a trabalhar com perucas e maquiagens teatrais. Aos poucos foi transformando a maquiagem mais pesada do teatro a algo mais aceitável e apropriado para as telas de cinema. Texturas, cores e fórmulas, até criar uma “base cremosa”que não rachasse e ficasse bem na pela dos atores. Deste feito em diante, Max Factor já era considerado um grande mestre dos cosméticos.
De uma pequena produção a uma marca mundial. Com o passar do tempo os negócios cresceram, os filhos se envolveram na empresa do pai e começava a produção em grande escala e desenvolvimento de novos produtos com uma marca própria. Forneciam maquiagens para grande parte da indústria cinematográfica e chegou a ser líder de mercado no seguimento. Os filhos  pensavam grande e queriam ver a marca além da indústria do cinema. E com a tela colorida e a criação do famoso Pan-Cake, que escondia imperfeições e tinha um acabamento mais transparente e matificado, a marca foi tomando conta do mundo real, já que as mulheres levavam o do set de filmagens para o uso diário.
.
Claro que o produto não era tão apropriado para o dia a dia já que sem as luzes dos refletores o efeito não era o mesmo. Dali para frente foram muitos estudos para chegar a fórmulas perfeitas que se adequassem foras das telas e palcos.
Ele desenvolveu maquiagens para grandes nomes do cinema e transformou mulheres normais em divas maravilhosas. Criava produtos e criava personalidades, já que juntava suas fórmulas inovadoras com sua habilidade de criar looks exclusivos para cada atriz. Suas clientes já celebridades, acabaram virando as próprias modelos da marca, que inseridas nos anúncios, criaram milhares de fã de batons, bases e outros produtos Max Factor.
.
 Lendo um pouquinho do material exposto no museu da para perceber o quanto Max Factor era minucioso e detalhista. Sempre tentando mostrar o lado mais belo de cada mulher em uma época bem distante do photoshop. Ele sempre preocupava com as cores certas para cada tipo de mulher e cada personagem.
Veja mais fotos que tirei dos anúncios AQUI
No museu, um filme mostrava um pouquinho de como o batom vermelho voltou a moda depois de ter sido visto com maus olhos pela sociedade. Nos lábios das sensuais divas como Marilyn, o batom vermelho começou a ser desejado pelas telespectadoras, que queriam um visual tão marcante e sedutor quando as atrizes. A marca criava cores específicas para morenas, loiras, ruivas e castanhas.

Junto com o acervo das mulheres dos anos 30/40 muitas imagens, notícias e bilhetes deixados pelas próprias atrizes. As salas do museu e antigo salão, são separadas e decoradas de formas diferentes. Uma para loiras outra para morenas, outra para ruivas e uma quarta sala para as castanhas. Em cada uma destas salas um pouco de história.

.Sou apaixonada pela estética da época, em que as mulheres eram femininas, usavam cabelos impecáveis, roupas acinturadas e tinham uma postura perfeita. Os estojos de maquiagem eram grandes caixas decoradas com cetim, as escovas de cabelos (e os acessórios) parecem pequenas obras de artes. Foi delicioso ver de pertinho aquele monte de produtos que deram origem a maquiagem que temos hoje em dia. Pó, batom, base em bastão e muitos cílios postiços. Tudo com embalagens originais e deliciosas de serem observadas.

Agora o objetos mais intrigantes da exposição é o “The Max Factor Beauty Calibration Machine”, uma engenhoca que parece mais um objeto de tortura,  criada por Max Factor capaz de medir detalhadamente, identificar o rosto da mulheres e com isso fazer correções possíveis para que as divas ficassem ainda mais belas. A máquina só comprovou que o “rosto perfeito”era um mito e que mesmo as mais lindas celebridades tinhas suas assimetrias. Só existe uma máquina desta que foi leiloada a pouco tempo e estava em exposição no museu.

A Max Factor foi comprada P&G e ainda está presente em vários países. E se hoje nos Estados Unidos foi praticamente substituída pela Cover Girl, no Reino Unido continua firme, forte e cheia de novidades.

Agora o que muita gente não saber ainda, é que os criadores (Dean e Davis) da nossa amada Smashbox são os bisnetos (ou netos ?) de Max Factor, que depois de um super estúdio fotográfico em Los Angeles, criam uma linha de makes  para tecnologias de hoje como HDTV e Blue Ray que são vendidas e desejadas em grande parte do mundo. Família de sucesso esta, não ?

Agora sobre a visita ao o museu, vá se você ama maquiagem e quer saber um pouquinho da história deste mestre, se você ama ver coisas de celebridade e se você não tem rinite alérgica. Pois tirando o térreo que é ventilado e tem as salas dedicadas a marca, o resto é velho, empoeirado e caro pela conservação geral das coisas. Eu consegui ver só a parte de Max Factor, pois os outros andares se tornaram impossíveis devido ao cheiro de mofo do local. Sorte que fiquei tão encantada com o acervo da marca que foi só passar em uma farmácia depois e comprar um remedinho para deixar meu nariz em paz..rs

Informações…
The Hollywood Museum, 1660 N. Highland Avenue, Hollywood –  Horário: 10h – 17h –  $15 adultos e $12 crianças e idosos – Informações +1 (323) 464-7776

You Might Also Like...

  • Everyn Palhares
    dezembro 20, 2011 at 12:46 pm

    Carambaaa Ci..MEUS PARABENS! Um dos melhores posts do blog EVER…Ficou lindo, completo, fotos incriveis, enfim…just perfect! Tirei meu chapeu pra vc agora hein ;)

    Gente, e o que era essa “calibration machine” hein? hahaha…Parece aqueles aparelhos de tortura de filme de terror afffff…

    By the way, eu AMO a MAX Factor desde sempre..Produtos de excepcional qualidade e os precos sao mto bons…O pancake deles eh fantastico, alem dos outros produtos tbm, eh claro =)

    Mas acho q nem tem no Brasil neh?

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 20, 2011 at 12:55 pm

      Puxa obrigada ;) Uma pena que não tenho tempo, pois queria todos os posts assim. Não faltam ideias…falta tempo..rsrs
      Mas enfim, a marca é muito boa sim, minha mãe adorava. Acho que não tem mais no Brasil não, mas ja teve.
      E essa máquina é uma loucura, fiquei uns 15 minutos olhando para aquele treco…rsrs Se não tivesse foto junto ia jurar que era mentira. rs
      Bjs

  • Kaira
    dezembro 20, 2011 at 1:08 pm

    Nossa, que post bom, nostálgico, amei Ci!
    Bjs!!!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 20, 2011 at 1:12 pm

      Obrigada ;) As vezes acho que nasci na época errada..rsrs amo aquilo tudo!

  • Marisa
    dezembro 20, 2011 at 1:11 pm

    Parabéns, post perfeito !!! Detalhado e muito ilustrativo !!! Great job !!!

  • Edna Lucia Fidelis
    dezembro 20, 2011 at 3:35 pm

    Adorei, amei demaaais a história dos produtos Max Factor, pois como desde menina há muuuuito tempo atrás (risos) sou apaixonada por maquiagem, e assim que comecei a trabalhar aos 14 anos comprei minha primeira maquiagem que foi um rimel da Max Factor. Mas era tão caro na época para mim que eu e minha irmã pagávamos juntas. A partir daí sempre que podia comprava algo da marca. Mas fiquei surpresa quando li no seu post que a marca era usada pelas Divas de Hollywood e que Max Factor era o nome do dono e que ele morreu e 1938. Me senti uma diva! rs
    Eu via Max Factor nas coisas na minha tia e nem podia imaginar que o criador nem existia mais, nisso eu tinha uns 8 anos de idade.

    Não posso deixar de comentar que fiquei muito perdida quando não achava mais nada da marca aqui no Brasil, então passei a usar a Payot, nisso eu já tinha uns 25 anos de idade.
    Apenas hoje, com a minha filha Maraisa, que voltei a ter produtos da Max Factor.

    Obrigada por me fazer voltar ao passado Cinthia!

    Bejus
    Edna Lucia Fidelis

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 20, 2011 at 3:41 pm

      Ai que lindo Edna :) Nossa, amei muito ler a seu comentário :). E sim, vc com certeza era uma diva, assim como sua filhota que eu adoro tanto:)
      Espero que mesmo com as mudanças na tecnologia e entrada de outras marcas vc ainda continue sendo uma Diva independente de tudo.
      Bjs e muito obrigada por dividir uma parte da sua história ;)

    • Maraisa
      dezembro 20, 2011 at 3:48 pm

      Eu bem sei o quanto você gosta da Max Factor mãe! =) Por isso te indiquei este post UOU da Ci!
      Obrigada pelo Diva Ci… hahahah Todas nós!

      E Ci, vc perguntou se voltará a vender aqui no BR?

      Beijos

      • Cinthia Ferreira
        dezembro 20, 2011 at 3:53 pm

        ieiii, adorei o comentário da mamis.
        Pelo que sei não…acho que se forem trazer para cá será a Cover Gilr mesmo ;) E espero que a Smashbox tb venha junto com a sephora.
        BJsss

  • Debora
    dezembro 21, 2011 at 10:15 am

    Post SENSACIONAL e feito com muito CAPRICHO, como tudo que vc faz, Cinthia!
    Sou sua fã! :-)
    Parabens!
    bjs
    Débora (c blog novinho no ar: belezacomprada)

  • Priscila Silva
    dezembro 21, 2011 at 6:35 pm

    Que post mais lindo e maravilhoso… um dos melhores do blog mesmo!! Parabéns!!!! =D

  • Lu Flor
    dezembro 21, 2011 at 7:47 pm

    Ci…mostra INCRÍVEL!!! Um dos melhores da história do blog!!! Imagino que vc tenha passado horas (talvez dias) preparando ele, mas o resultado esta fantástico! Tudo: dos textos as imagens… Parabéns MESMO!!! MUITO orgulhosa de vc!!!
    Adorei conhecer um pouquinho mais sobre a marca, suas inovações, etc..l LINDO!!!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 21, 2011 at 8:15 pm

      Obrigada Lu ;)
      Demorei este tempo todo pq até escolher as imagens, resumir tudo que eu queria contar e fazer as montagens demorou mesmo. Mas valeu a pena :) Deu até saudades do mofo do museu..ahaah
      Bjs

    • Hybriis
      dezembro 22, 2011 at 8:08 am

      faço minhas as palavras da Lu (e dona Lu, tô com saudade de ti)

  • Lisandra
    dezembro 21, 2011 at 8:50 pm

    Muito bacana, obrigada por compartilhar essa história.

  • Hybriis
    dezembro 22, 2011 at 8:03 am

    Ci!!! Estou encantada com seu post! que viagem no tempo!! AMEI!!! Super bacana a história da marca bem como o Museu, tb quero conhecer, buááááá!!

    Post-presente de Natal!!

    :)

    Bijocaaaa lindona!!!

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 22, 2011 at 8:51 am

      Obrigadaaaaaq ;)
      E foi muito legal. Alias acho que nosso roteiro desta vez foi uma das viagens mais legais que fiz.
      Bjsss

  • Viviane
    janeiro 9, 2012 at 1:12 am

    Detesto comentar em blogs, mas sou visitante assídua do seu! Por uns probleminhas de saúde no fim do ano passado, tive qe abandonar a leitura por uns tempos e agora vim tirar o atraso e pra minha surpresa me deparo com um post RICO E INTERESSANTE desses!
    Meus parabéns!!! Linda matéria! Com certeza já me deixou na vontade de passar por lá tb!

    • Cinthia Ferreira
      janeiro 9, 2012 at 8:54 am

      Puxa, seja bem vinda novamente :)
      Obrigada pelo elogio :)
      Bjs

  • Bruna M.
    janeiro 30, 2012 at 4:11 pm

    Nossa amei esse post….adoro makes e ver essas antigas foi o máximo!!!

  • Max Factor no Museu de Hollywood | Fabio Gonçalves
    julho 29, 2012 at 5:28 pm

    […] e blogueira Cinthia Ferreira visitou o Museu de Hollywood (antigo Museu Max Factor). Em seu blog Make Up Atelier, ela conta todos os detalhes sobre essa experiência incrível. Confira! Produtos da Max Factor […]

  • Ivaneide Morais Ikeda
    julho 4, 2013 at 8:19 pm

    Quero envia para meu face.

  • Sadyra
    setembro 30, 2013 at 1:12 pm

    Muito boa a matéria.
    Aprender um pouco mais sobre a história dos cosméticos que compõe a beleza é sempre
    interessante. Fiquei curiosa para conhecer o museu!

  • Pollyanny dos Reis
    novembro 11, 2013 at 8:21 am

    Adorei seu Post !!! Maravilhoso!!! Parabéns!!

  • Denise Lima Lopes
    fevereiro 7, 2014 at 12:37 pm

    Olá Cinthia Ferreira, fiquei surpresa com a história de Max Factor.
    Eu tive o prazer de trabalhar como representante dos produtos Max factor, numa loja aqui em Fortaleza-Ce. Eu simplesmente amava esta marca, o meu perfume preferido era o le jardin,eu tinha uma linha completa de maquiagem. Com esta linda reportagem você me fez relembrar bons tempos da minha juventude. Um grade abraço.

  • Anderson Bueno
    agosto 7, 2014 at 1:07 pm

    Excelente texto Cinthia,
    MAX FACTOR foi um revolucionário para a sua época e nós maquiadores deveríamos TODOS ter um altar em casa para reverencia-lo todos os dias, pois se somos capazes de realizar nosso trabalho e temos produtos e tecnologia para isso, devemos a ele!!

    Mas infelizmente, nem o mercado muito menos as pessoas dão este crédito.
    Recentemente, em Los Angeles em um trabalho, conversando com outro profissional, ele não sabia quem era Max Factor!! acredita!?
    Fiquei chocado!!! kkk
    E mais chocado fiquei quando descobri que a marca, que já a algum tempo pertence ao grupo L’Óreal, não mais será vendido nos Estados Unidos, apenas na Europa. OI!? CHOCADO mais uma vez!!!

    Enfim….. Para que reverenciar aqueles que nos abriram caminhos?

    Novamente, PARABÉNS!!!

    abraços,
    Anderson Bueno

  • Bruna
    dezembro 21, 2015 at 5:09 pm

    Maravilhoso seu texto. Estou muito feliz em saber mas sobre nosso trabalho que as vezes é bem estressante no dia a dia.

  • Gabriela
    maio 26, 2016 at 11:03 am

    Vim pesquisar se a marca ainda existia apos ler o livro max factor….
    Fiquei triste pela fanilia deixar o negocio acabar assim….
    Os netos criarem outra marca.. Pq n continuaram o nome. Enfim
    E tb nao sabia q a cover girl eh digamos a atual max factor?!?!
    Acho q a marca encerrou as atividades aqui no brasil ano passado?
    No Chuí eu encontraba algumas coisas hj nao mais… Bjos!

  • Daniel Pereira Lopes
    abril 21, 2017 at 9:26 pm

    Cinthia,belo trabalho sobre a história do genio da maquilagem chamado Max Factor. Trabalhei
    na filial dele aquí no Brasil, de 1958 até 1976.Aproveito para lembrar que por muitos anos
    a marca patrocinou o concurso Miss Universo. Lastimo que os herdeiros tenham negligenciado
    na administração de uma marca do porte dela, no país de origem. Parabens.