Makeup

Para que ser igual quando podemos ser diferentes ?

texto

Semana passada estava conversando com uma amiga sobre estilo e lembrei de um fato que ocorreu no final de 2012, quando decidi parar em uma perfumaria perto da minha casa para comprar umas coisinhas. Foi aí que presenciei uma situação tão comum na moda, agora vista no mundo dos cosméticos.

Uma garota de uns 14 anos discutia com a mãe dela enquanto provava um batom: “Mas mãe, o da fulana não é este. Eu sei que este é até mais bonito que o dela, mas eu quero O MESMO, quero o que todo mundo da classe está usando….”. “Mas filha, você nunca gostou de batom assim”… “Eu sei, mas agora eu quero aquele”.  A mãe tentava argumentar dizendo que as pessoas tem tons de lábios diferentes e que este até poderia ser o motivo daquele tom estar lindo e combinando com a pele dela. A menina inconformava se olhava no espelho várias vezes, fazia caras e bocas, mas não se convencia de levar um batom que não era o “tal batom da tal menina da classe”. No final as duas saíram da loja e pelo que eu entendi, ainda em busca do tal batom correto.

Somos bombardeadas todos os dias com muita informação de moda e beleza e que quando vimos uma mulher maravilhosa com uma roupa X, um sapato Z e um batom Y…dá vontade de ser a própria. Parece que se utilizarmos tudo igual a ela ficaremos tão perfeita quanto, mesmo que nosso biotipo seja completamente diferente. Mas e o nosso gosto próprio, cadê ? E o nosso toque pessoal ?

Obvio que se eu amar tênis com salto, saia mullet, batom Snob, esmalte neon ou qualquer outra papagaiada que a moda lançar, vou usar e ficarei feliz da vida em encontrar vários disponíveis para venda naquele período. Mas se eu não gosto de nada disso, vou usar só porque É MODA e está todo mundo usando ???

Lembro que no colégio que eu estudei quase minha vida toda, o uniforme era 100% obrigatório e até o tênis tinha que ter uma determinada cor. Isso me irritava tanto que eu sempre dava um jeito de encurtar a calça, mudar a gola da camiseta, ajustar a jaqueta…só para ficar um pouquinho diferente (e sim, muitas vezes eu era zoada por isso). Claro que tenho e uso várias coisas que são “atuais tendências” mas sempre se aquilo for do meu gosto, se não for, vai passar batido.

Eu acho bem estranho chegar em um local e ver que as mulheres estão praticamente de uniforme. Roupas iguais, cabelos iguais, batons iguais e assim por diante.  O problema não é só estar igual, mas sim passar por cima do próprio gosto para ficar igual a outra pessoa. Gente que odeia determinada “Tendência” mas se sente obrigada a adaptar-se para fazer parte do grupo.

Lógico que se eu amo batom vermelho e a moda atual o elegeu como tendência, vocês me verão usando batom vermelho da mesma forma, mas por uma questão de gosto e não adequação. Eu amo a moda e acho que a cada dia que passa ela está mais democrática, acessível e devemos usar isso a nosso favor. Nossos gostos mudam e isso sim é legal, posso odiar uma cor agora e com o passar do tempo começar amá-la. Mas nunca odiar a cor e me obrigar usá-la para ficar atualizada.

Acho saudável ter “musas inspiradoras” e acredito que todas nós temos. Mas acho ainda mais saudável usar esta inspiração toda, pescar ideias, misturar com nossas características e criar um estilo próprio, seja ele básico, elegante, esportivo, eclético ou qualquer outra coisa. O importante é ser você e usar coisas que te favorecem e não o que favorece a vizinha e muito menos ser uma cópia ambulante de outra pessoa.

Vamos confiar mais no próprio estilo e continuar sempre procurando informações de moda para deixá-lo ainda mais com a nossa carinha, sem ligar para o que a “turma da classe” vai pensar ;). Não concordam ?

 .

You Might Also Like...

  • Camis
    janeiro 16, 2013 at 6:17 pm

    Acima de tudo as pessoas tem que ter personalidade… concordo com você… é ridículo usar uma coisa por usar…
    a mãe da menina tinha que dar umas palmadas nela… huahauhaua

    beijosss

    • Cinthia Ferreira
      janeiro 17, 2013 at 10:04 am

      hahaha mas sabemos que tem idades que quanto mais a mãe fala mais queremos fazer o contrário né hahahah
      Enfim, espero que ela mude com o passar dos anos. Acho até aceitável isso na adolescência, mas infelizmente temos muitos adultos agindo da mesma forma.
      Bjs

  • Graciella Angélica
    janeiro 16, 2013 at 11:59 pm

    Perfeito esse post, já vi muito disso, porem comigo é diferente (já segui moda sim, porem não me senti bem fznd isso) eu só uso o que eu realmente gosto, uma moda que lançou e eu não vi a menor graça, mesmo ficando lindo nas outras pessoas foi o snob, em mim parecia que eu estava morta, doente, assim como cores neons, tem gente que usa e ama, eu odeio, a moda é uma faca de 2 gume, nem sempre o que serve para mim serve para o outro mesmo que seja tendencia, por isso geralmente muitos apostam no classico, pois ele não tem erro, e com isso muitas pessoas acabam tendo medo de usar cores, pois tem cada moda que fica meio bizarro nos outros, que o medo começa assim.

    • Cinthia Ferreira
      janeiro 17, 2013 at 10:01 am

      Obrigada ;)
      POis é, eu acho o snob bonito em 2% de quem usa rsrs de resto acho a coisa mais estranha do mundo. Eu amo o clássico mas sempre tento dar uma misturada para justamente não virar uniforme, mesmo sendo o básico ;)
      Acho que o importante é se entender com o próprio espelho. Estudar a si mesmo, se ver em 360 graus e identificar qual o seu melhor. Depois disso se os outros não gostarem problema deles rsrs.

      • Patricia
        janeiro 17, 2013 at 3:55 pm

        Eu faço parte dos 2% , fico linda de snob!!!!!!!!!!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Sério, eu adoro! Sempre que alguém fala que fica feio em todo mundo eu comento dizendo que eu fico bonita! Já recebi elogios com esse batom, não é coisa da minha cabeça não, rs.
        Beijos!

        • Cinthia Ferreira
          janeiro 17, 2013 at 4:09 pm

          Tenho certeza que sim Patricia ;) Assim como acho a Vic Ceridono linda com ele. Vai do tom de pele, do estilo e tal e se fica bom tem que usar meeeeesmo. ;)
          Bjs

  • hybriis
    janeiro 17, 2013 at 8:25 am

    Oi Ci!
    Adorei e achei SUPER pertinente seu post!!
    Somos BOMBARDEADOS 24/7 para ficarmos exatamente IGUAIS, padronizados que nem hamburgers do Mac Donalds!

    Hoje em dia acho engraçado as pessoas elogiarem minhas camisetas e acessórios de caveiras (que eu tenho desde a década de 90 hahahaha, sou veinha né – btw, são caveiras mesmo e não essas pseudo-caveiras hihi), é estranho demais, pois antes da “skull trend” me olhavam como se eu fosse… sei lá, uma louca de gosto duvidoso! Fora as críticas que ouço pelas roupas pretas, que amo absurdamente!

    As pessoas tendem a valorizar a CASCA, não importa se é belo, importa “se está na moda”, vide o exemplo dos sneakers (desculpem-me as fãs).

    Tenho muita pena destas adolescentes, como a de seu post, que estão cada vez mais vazias e com as vidas destituídas de significado, salvo raríssimas exceções…

    Bijoca,linda!!

    • Cinthia Ferreira
      janeiro 17, 2013 at 9:58 am

      Ahhh Hybriis, eu sei bem o que vc passa por conta do tal e atual “caveirismo”ahhaahh Eu mesma estou adorando esta coisa de usar metais nas roupas pq sempre amei e não usava desde a adolescência. E tb amoooo roupa preta. Meu closet é quase 80% preto rs.
      E é bem isso mesmo….te julgam pela casca. E já vi muita gente que odiava o “tal tênis” mas que usa justamente por isso….bem complicado.
      Mas que seja né ? Vamos ver se com tantas opções que a moda está oferecendo com o passar dos anos, a coisa melhora. Pelo menos teremos muitas tendências juntas e as pessoas ficarão um pouco diferente rs.
      Bjshttp://www.makeupatelier.com.br/wp-admin/edit-comments.php#comments-form

  • Gabriela
    janeiro 17, 2013 at 10:24 am

    Perfeito! Concordo muito com o que você escreveu. Não acho que esse comportamento seja recente, lembro de minha mãe falando sobre as meninas não quererem usar uniforme da escola, mas estarem todas uniformizadas com as mesmas roupas. Acho que hoje em dia é pior porque todo mundo tem mais acesso a tudo, então a uniformização do gosto vem à galope. Parabéns pelo blog, estou adorando acompanhar.

  • Belise
    janeiro 17, 2013 at 10:37 am

    AMEI este post!! Isso me lembra quando era pequena, amava customizar minhas roupas, sempre tive essa onda de não parecer com as outras meninas, sempre gostei de ser eu mesma. Sempre me falavam, ” Compra essa está na moda!” eu falava, ” não quero estar na moda, quero parecer eu mesma”, por isso odeiam comprar roupas comigo rs, se de repente eu comprar alguma peça especifica, por que gostei em determinada pessoa, vou comprar só se estiver no meu gosto e mesmo assim vou usar do meu jeito, estando dentro da moda ou não. As pessoas acabam se esquecendo de suas próprias preferencias e até personalidade para se parecer com as capas de revistas e nem sempre são felizes pelas escolha, diversas vezes já vi coisas, principalmente cor de batom em revista que fiquei louca para comprar, mas sabia que no meu tom de pele não se encaixava e tive que deixar para lá, maaaaaaaaaaaaaas comprei algo parecido que estivesse dentro do meu estilo e que entrava em harmonia com minha pele.

  • Alina de Oliveirs
    janeiro 17, 2013 at 10:53 am

    Concordo plenamente com o post de hoje. As pessoas tem estado tão preocupadas em ser iguais a fulana ou cicrana que estão perdendo a própria identidade. E isso não é só na moda, mas em tudo. Por isso temos encontrado tantos jovens sem personalidade e de mente vazia. Eu me lembro que quando estava na escola também queria ser a diferente, gostava de coisas diferentes e não tava nem aí se as pessoas se incomodavam com o meu jeito. Meus amigos sempre acharam o máximo e alguns até tentavam me copiar; quando isso acontecia, eu mudava de novo porque queria ser sempre diferente de todo mundo. Hoje, as pessoas andam em bando todas iguais, usando as mesmas coisas, agindo da mesma forma (muitas vezes estúpida) e achando que pensar (e agir) igual a todos é o máximo. Fico muito triste quando vejo esse tipo de comportamento…

  • Maria Manoela Porto
    janeiro 17, 2013 at 11:24 am

    Concordo em gênero, número e grau ;-)
    Por essas e outras eu me cansei de ler alguns veículos. O pior é a tendência do mercado de criar a necessidade ao invés da curiosidade, criar uma relação de intimidação ao invés de incentivo à identidade. Nenhuma roupa te cairá bem se você não estiver feliz, conhecer seu corpo e construir seu estilo. Nenhum creme ou maquiagem irão funcionar se você não conhecer sua pele e respeitar suas necessidades. Com tanta informação dá pra ser consciente, e não impulsiva, escrava das tendências. Mais um post adorável, Parabéns ;-)

  • Lorena Colares
    janeiro 17, 2013 at 1:26 pm

    Olá Cinthia,

    Achei muito pertinente o seu post, outro dia saí com meu marido pra jantar e ele me indagou porque todas as mulheres estavam usando uma saia que tá sobrando pano atrás (mullet). Eu ri bastante e fiquei pensando sobre o assunto, porque por mais que eu ache bonito determinada tendência eu sinceramente não compro só pra parecer igual a todo mundo.

    A moda dos maxi colares veio, ficou um tempo e já está indo embora e eu percebi que ainda não tinha um, pensei em comprar, mas desisti porque me dei conta que só estava querendo comprar porque todo mundo tinha um e eu não. Agora a moda é maxi brinco e ainda que não “preciso” comprar porque sempre gostei e tenho um monte hehehehehe

  • Marília
    janeiro 20, 2013 at 1:30 pm

    Adorei!

  • Marília
    janeiro 20, 2013 at 1:50 pm

    Fiquei feliz e triste ao mesmo tempo ao saber que a cor Pantone do ano é o esmeralda, quase equivalente ao nosso verde bandeira. Achei ruim porque é minha cor favorita e agora todos blogs tão falando como tá na moda e bom porque vai ter muita coisa da minha cor predileta pra comprar. Daí vamos ver verde em tudo quanto é lugar, em pessoas que nem gostam tanto da cor, mas usam porque é tendênciaZZzzZZZzz.

  • Dri Zakzuk
    janeiro 21, 2013 at 11:28 am

    Oi Ci!!!

    Acabei de lembrar de uma frase que eu ouvia muito do meu pai, quando ele ainda me levava pra balada (Krypton, by the way):
    “Não sei para que você perde tanto tempo se arrumando… quando chega aqui, vocês estão todas iguais!”

    Quem diria que, anos depois, eu daria toda razão a ele! =)

    Bjs!!!

    • Cinthia Ferreira
      janeiro 22, 2013 at 9:23 am

      POis é….ele disse tudo rsrs
      BJs