Menu
Cabelos / Conta Tudo / Geral / Quando a Lu

Quando a Lu, “Conta Tudo” | parte 2 – dando um fim a “Bad Hair Life

Mais um post escrito pela querida Luciana Flor. Hoje com a solução do drama.

 

Dando continuidade ao último post (aqui)…
Bom, prometi que escovas progressivas, inteligentes ou qualquer tipo de relaxamento ou alisamento temporário eu não voltaria a fazer, e comecei a pesquisar as diferenças entre tioglicolato de amônia, ácido tioglicólico, hidróxido de guanidina, entre outros hidróxidos utilizados em relaxamentos e alisamentos permanentes.
Como já tinha uma confiança muito grande nos produtos da L’oreal e eles possuem tioglicolato de amônia na linha X-Tenso, decidi: alisarei meus cabelos com X-Tenso! Ativo e marca escolhidos, faltava escolher o profissional que aplicaria o produto nos meus cabelos e qual das forças seriam utilizadas no meu caso (esta decisão é obvio que seria do cabeleireiro e não minha).

Para quem não sabe, a linha X-Tenso possui cinco forças: cabelos coloridos, naturais, naturais resistentes, sensibilizado com mechas e sensibilizado levemente danificado). Devido às cinco forças disponíveis, é possível junto com o profissional, decidir se você quer um cabelo “liso-japa da raiz as pontas” ou simplesmente amenizar o volume como a Ci citou nesse post aqui

Minha vontade – e discurso inicial – depois de tantos anos lutando com os cabelos era “liso-japa”. Por isso acho super importante a avaliação antes do procedimento e o teste de mecha. O bom profissional, aquele que possui experiência com essa linha pode inclusive se negar a aplicar qualquer uma das forças nos seus cabelos e ter bons argumentos para te mostrar que talvez você precise é apenas de um bom corte, tratar os fios e algo menos permanente, como as escovas progressivas.

Admito que minha primeira opção era a de buscar algum profissional que estava participando com frequência dos cursos e lançamentos de produtos no instituto da L’oreal na cidade onde moro. Surpresa!!! As “estrelinhas” da cidade estavam desatualizadas e cobrando valores que considerei absurdo devido às “faltas” aos treinamentos.

Logo depois descobri o nome de um profissional que “gritou” meu nome: Eron Araújo. Sim!!! Tudo por causa do post da Ci!!! (Sua bruxa! Hihihihihi…)
Escolha obvia, já que era ele quem dominava a técnica e quem estava explicando o passo a passo da variedade de resultados que é possível obter com essa linha aos demais profissionais!

Os problemas: não moro em SP, queria que a Ci fosse comigo, mas nossas agendas não fechavam e comecei e pensar nos retoques que precisaria fazer posteriormente. Acabei desistindo do “meu cabeleireiro escolha perfeita”.
A Ci então me falou de um cabeleireiro que ela conheceu no lançamento na linha Inoa e que era de Florianópolis!!!
Pronto! Tenho um profissional um tico mais próximo!!! (São 320 km de viagem ida e volta e um dia inteiro de trabalho na empresa “perdido”… O que não fazemos em nome da beleza, heim?!)

Marquei uma avaliação e fui!!! Foi quando conheci o Evandro De Rossi. Não saberia dizer ao certo quanto tempo nós conversamos, mas foi por um BOM tempo!!! Expliquei tudo que fiz e faço nos cabelos, quais os produtos que uso, freqüência de uso de secador e chapinha, etc… Todo tipo de informação necessária para a tomada da decisão correta. E ele ainda está atualizadíssimo em relação aos produtos da L’oreal e Kerastase e não fugiu de mim ou da minha loucura!!! Já sai do salão com data e horário marcados.

Cheguei bem mais cedo no dia e conversamos mais um pouco sobre o que fazer. Chegamos a um consenso: utilizar uma força maior da raiz até uns 10-15 cm do comprimento e uma forca menor no restante do comprimento. Assim, meus cabelos ficam disciplinados, com menos frizz e com a raiz lisa. Por outro lado, no comprimento a força menor permite modelar meus cabelos sem a necessidade de quilos de fixadores. PORÉM, por se tratar de um processo permanente, conforme o cabelo for crescendo, essa raiz lisa vai “descer” e daqui alguns anos meus cabelos estarão liso-japa. Isso é um dos melhores exemplos que posso dar a vocês de um excelente profissional: pensar em como estará meus cabelos daqui alguns anos e não apenas no “agora”!

Forças escolhidas, ciente e de acordo com o fato de que em alguns anos meus cabelos estarão super lisos da raiz as pontas… Vamos à aplicação! O processo para quem esta recebendo esse procedimento parece ser super simples, mas precisa ser bem planejado.

Outros gritinhos internos de “fiz a escolha do profissional certo”: como o produto tem tempos limites de aplicação e de ação relativamente curtos + a quantidade absurda de cabelos que tenho + comprimento dos fios e a escolha de usar duas forças, o cabelo foi feito em duas etapas para que o produto pudesse agir dentro do tempo correto e sem que o Evandro ficasse tenso ou preocupado com o tic tac do relógio. Primeiro foi aplicado na parte de trás dos cabelos e depois nas laterais. A neutralização dos fios foi realizada em uma única etapa.

Alias, a neutralização é um passo importantíssimo, pois o tioglicolato de amônia é super alcalino e é necessário o produto correto agir pelos tempos determinados para que o cabelo volte ao pH ideal.

Após a neutralização dos fios, os cabelos ficam super molinhos, uma delicia! Por ter optado pelo alisamento, durante o processo os cabelos são escovados e alisados em mechas super fininhas com uma chapinha e uma preocupação absurda com a direção do secador e da chapinha para evitar que os cabelos fiquem “colados” no couro cabeludo dando um aspecto “fake”.

O processo é finalizado com uma hidratação, corte e os cabelos são secos com o secador sem tentar modelar ou fazer escova, apenas para secar os fios… Simulando uma secagem de cabelos caseira.

Em relação à manutenção, esta deve ser realizada apenas na raiz dos cabelos e com um intervalo mínimo de seis meses, podendo chegar a oito ou nove meses. Depende da velocidade com que o cabelo cresce.

Dos cuidados diários: por já utilizar produtos que ele recomenda, pediu para que eu mantenha minha rotina de cuidados e não esquecer de hidratar sempre!
Ahhhhhh… Uma super dica que ele já tinha me dado na nossa primeira conversa e que funcionou perfeitamente nos meus cabelos mesmo antes do X-tenso para diminuir o frizz: troquei o condicionador Absolut Repair pelo Liss Ultime, ambos da L’oreal.

Agora estou louca para testar algumas coisas que a Ci já mostrou por aqui: a linha de produtos X-tenso Care, os lançamentos da linha Absolut Repair Cellular (aqui) além de outros produtinhos e procedimentos que despertaram minha curiosidade: testar o Botox Capilar Fiberceutic também da L’oreal e fazer a cauterização molecular com Renew C com o Evandro, pois já fiz em casa algumas vezes, MAS depois de conversar com ele, me convenceu de que “não é a mesma coisa”… E sou obrigada a concordar com ele.

Ahhhhh, e até o lançamento de algo melhor, manter o uso freqüente da minha amada máscara Masquintense para cabelos grossos (produto paixão de longa data).

Onde? No Rossi Cabeleireiros & Estética (No bairro Santa Mônica MUITO próximo ao Shopping Iguatemi.)

Quanto? Há uma tabela de preços e dependera muito de resultado da avaliação. Como meus cabelos são grossos, compridos e tenho muito cabelo, no inicio deste mês quando fiz, paguei R$ 1.440,00 pelo X-tenso.

Tempo? Cerca de 5:30 horas no salão e cerca de 3:30-4:00 horas de viagem entre ir e voltar ao interior.

Ps da Ci: para quem quiser ver o cabelo da Lu antes do tratamento, olha aqui. O post é antiguinho mas da para ver a textura.

.

Sigam a @LuFlor_ no Twitter

.
Sobre o autor

Editora e idealizadora do Makeup Atelier www.cinthiaferreira.com.br

Tudo sobre Estée Lauder Advanced Night Repair O melhor produto de Drunk Elephant | Lala Retro 3 Perfumes docinhos com toque Gourmand Como ter cílios curvados sem curvex Tudo sobre o BT Gloss de Bruna Tavares