Doenças da beleza Geral

Vale quanto pesa

Depois do post em que falamos sobre o vitiligo (aqui) recebi vários e-mails de agradecimento e elogios ao tema. Obrigada a todas que escreveram e mesmo não sendo “ninguém” para dar algum conselho, espero ter ajudado algumas pessoas que sofrem do mesmo problema que eu.

Quando fiz o post pedindo que vocês leitores sugerissem os temas para a Dra, não imaginava a quantidade de meninas que me escreveriam falando sobre problemas relacionados ao peso. Umas sofrendo horrores por se acharem gordinhas e excluídas, outras com transtornos alimentares gravíssimos e outras que estavam super confortáveis com seu peso, não queriam mudar, mas ao meso tempo não sabiam lidar com a pressão dos familiares.

Então aí vai o segundo post com um texto ótimo da Dra Joana Novaes sobre mais um tema complicado que várias meninas pediram que fosse abordado nesta seção. Não tenho nenhum relato pessoal para acrescentar ao post, mas tenho várias amigas, familiares e conhecidos que passaram por problemas relacionados ao peso e sei bem como pode ser complicado para a pessoa.

Espero que o texto possa ajudar leitores passam por situações semelhantes, mas e principalmente ajude abrir os olhos de quem tem preconceito em relação ao próximo.

Vale quanto pesa” – por Joana Novaes

“Vou lhe dar uma pequena informação de bastidores sobre Deus. Deus gosta de assistir. É um gozador. Pense nisso. Ele dá instintos ao homem. Dá esse dom extraordinário e então o que Ele faz, juro, para seu próprio divertimento? Estabelece as regras em sentido contrário. É a ‘pegadinha’ do século. Olhe, mas não ponha a mão! Toque, mas não experimente! Prove, mas não engula! E, enquanto você fica pulando de um pé para o outro, o que ele faz? Fica rindo! Fica disfarçando, com se não tivesse nada a ver com isso. É um sádico! Venerar isso? NUNCA!” – ( trecho de um diálogo do filme “O advogado do Diabo” tradução livre, não literal e resumida  – grifo nosso)

O fragmento acima não foi escolhido aleatoriamente como epígrafe para introduzir esse artigo, que tem como objetivo discorrer, ainda que brevemente, sobre a temática dos Transtornos Alimentares e a sua relação com a ditadura estética da magreza. Ao invés de Deus como uma entidade, que tal então conferir todo esse poder à chamada sociedade de consumo, cuja religião é o culto ao corpo. Caracterizada pelas patologias narcísicas e pelas compulsões, é também chamada de “cultura de um eu inflado ou obeso” Nesse cenário, acho a bulimia, com seus métodos compensatórios, a melhor metáfora da cultura atual.

Uma sociedade que nos incita a consumir vorazmente, mas que, paradoxalmente, nos ensina que o valor máximo reside na capacidade individual de privação, ou ainda, na capacidade do sujeito livrar-se de todos os excessos contemporâneos. O mérito dessa privação é medido pela visibilidade que esse corpo alcança – expressão máxima do sucesso e da mobilidade social na atualidade. Numa cultura onde o corpo não serve apenas de cartão de visitas, mas, sobretudo, informa sobre o caráter do indivíduo, nada mais natural que uma exigência severa em relação aos padrões alimentares e ao protocolo médico e esportivo ao qual o mesmo deve estar submetido.

Como bem nos lembra Levi-Strauss, o corpo é a melhor ferramenta para se aferir o grau de sofisticação de uma cultura. No contexto por nós aqui abordado, as práticas de regulação corporal consistem na engrenagem necessária para a boa manutenção do que se tornou o lócus privilegiado de investimento na chamada contemporaneidade. Ter um corpo jovem, magro e ágil, está na ordem do dia, e não cumprir com essa demanda significa burlar as normas atuais que definem o bem-viver, em outras palavras – atender a esses imperativos significa ser detentor de um capital valiosíssimo! Mas como conviver, qual o preço pago e os efeitos dessa ditadura estética da magreza no sujeito?

Para atender aos ditames estéticos vigentes, um número cada vez maior de mulheres adoece, reagindo de forma compulsiva, ao massacre de imagens que parecem apontar para o que convencionou-se chamar do atual estado de lipofobia (horror à gordura), do qual somos todos testemunhas! Para onde se olhe é possível avistar a perfeição das formas anatômicas, um universo de delícias alcançadas através da aquisição de inúmeros bens de consumo de luxo e alto padrão, paraíso terrestre ao qual os que tem os mais belos corpos terão passe livre para festas incríveis, senha de acesso a um vida divertida e glamorosa. Nesse universo paralelo, um mundo exclusivo, os gordos não estão representados, quer seja nos editoriais das revistas de moda que nos apresentam imagens de beldades emagrecidas, quase sempre muito distantes da compleição física da mulher que encontramos nas ruas, quer seja nos programas televisivos que nos massificam com imagens de celebridades se exercitando. Em igual proporção estão contemplados os anunciantes, presentes na mídia impressa em geral, que invadem o nosso campo visual com propagandas de restaurantes com as mais diversas culinárias e sabores e, paradoxalmente, nos apresentam inúmeras técnicas e/ou práticas corporais para eliminar a gordura adquirida. Tudo isso na forma de: spas, clínicas estéticas, cremes redutores, aparelhos e academias de ginástica…..

É igualmente sintomático, do atual estado de corpolatria, o olhar social sempre compadecido e piedoso em relação à anorexia. Em nossa cultura, a anoréxica encarna a imagem da fragilidade, bem como daquela que levou ao paroxismo a disciplina de uma alimentação vigiada. Aos gordos (TCAP), parece caber o lugar, inequívoco, da transgressão, posto que no imaginário social são criminalizados sem culpa! Curioso o fato de ambas as patologias estarem agrupadas no âmbito das compulsões, ou seja, em tese, suspender a alimentação ou comer em demasia leva à morte. Portanto, não se trata aqui de um mero ato devontade – condição que define as compulsões. O sujeito perde, ainda que temporariamente, o controle sobre o próprio corpo e suas ações.

Porque será então, que tendemos a uma avaliação moral depreciativa dos gordos, como se responsáveis fossem pela própria condição e, paralelamente, eximimos a anoréxica da responsabilização/implicação com seu sintoma?
Não se trata aqui de levantar uma bandeira em relação à obesidade, ciente que estamos dos inúmeros comprometimentos, prejuízos e riscos clínicos que essa condição acarreta. Tampouco excluir o enorme sofrimento psíquico inerente a um distúrbio psiquiátrico da ordem da anorexia. Entretanto, utilizamos esse espaço para denunciar o preconceito socialmente validado em relação aos gordos, que, por conseguinte, transformou a gordura na forma mais representativa de feiúra da atualidade.

Por: Joana de Vilhena NovaesPsicanalista, Pós-doutora em Psicologia Social; Dra em Psicologia Clínica e Coordenadora do Núcleo de Doenças da Beleza – NDB da PUC-Rio.

Para quem está de fora, vamos dar um basta no preconceito. Para quem está “dentro” é importante saber que há situações que se tornam complicadas de resolvermos sozinhos e as vezes pedir ajuda de um profissional (seja ele um psicólogo, nutricionista ou endocrinologista) é imprescindível.

E por mais que seja difícil, temos que nos amar. Procurar melhorar sempre, nos preocuparmos com nossa saúde, mas nunca deixarmos de nos amar muuuuuito e mais do que tudo nesta vida.

You Might Also Like...

  • Liz Micheleto
    novembro 10, 2011 at 12:49 pm

    Adorei esse post. Outro dia li em outro blog que toda gordura e defeito do nosso corpo é causa por defeitos de caráter e vida ruim.

    A autora do Best Seller afirmava que peito caído, por exemplo, é falta de vontade de buscar os objetivos. Que barriguinha é pq temos muita mágoa no coração. Exaltando que pessoas gordas, com flacidez, culote, celulite são pessoas infelizes e de caráter duvidoso. Quando expus minha opinião me responderam que eu tinha que ser flexivel e confiar em um estudo milenar e que eu só estava falando aquilo por sofrer com uma auto defesa que impede de ver a realidade…

    Por essas e outras que todos veem os gordinhos como preguiçosos e com falta de capacidade para qualquer coisa. Consumimos uma cultura onde apenas os magros são felizes, honestos e capacitados. Isso tudo tem que mudar!

    Parabéns pelo ótimo post.

    Bjos

  • Flavinha
    novembro 10, 2011 at 1:50 pm

    Isso é muito ruim mesmo, eu particularmente, não gosto de ver meu corpo no espelho, e evito muito mesmo isso. Não gosto do que vejo, pq vejo inumeros defeitos, acho que não está de acordo, acho feio mesmo pra ser sincera. :'(

  • Virginia
    novembro 10, 2011 at 3:39 pm

    Ótimo texto! Realmente a sociedade é doente, com princípios distorcidos e cruéis. É impossível corresponder às suas irreais expectativas, então só nos resta tentar obter uma uma boa base emocional para poder lidar com equilíbrio com todos esses imperativos.

  • ALINE GOMES
    novembro 10, 2011 at 9:34 pm

    Arrasou…Esse dilema eu vivo todo dia.Minha mae me chama de barriguda todo dia.Ela fala brincando,mas me magoa..
    Estou tentando me aceitar assim como sou!!bjs

  • Carol
    novembro 11, 2011 at 8:23 am

    Texto bem escrito, mas muito chato de se ler. Cheio de palavras rebuscadas…. O objetivo não está claro. Parece mais uma divagação sobre a ditadura da beleza do que propriamente o que parecia que seria abordado depois de eu ter lido o enunciado!
    Por outro lado, adorei o texto do vitiligo! Tb tenho um probleminha na pele! Uma dermatite associada à outra doença! Me incomodava muito no começo, mas hoje aprendi a conviver com ela e usar a maquiagem ao meu favor. Temos que ser felizes pelo que temos e pelo que somos!
    Beijos!! Adoro o blog!

  • Elen
    novembro 11, 2011 at 12:05 pm

    adorei a reportagem
    vivo me privando de tudo q ‘e bom pra ser magra
    mas agora 1 x na semana sou livre pra comer 1 docinho..hihihi
    bjao

  • Laura
    novembro 11, 2011 at 3:13 pm

    Ditadura da magreza é conversa mole de gente que não tem personalidade.

  • Elen
    novembro 14, 2011 at 10:14 pm

    Ci
    o q vc faz para estar sempre magrinha? faz dieta? academia? come direitinho??
    nos conta o segredo desse corpinho..:)
    bjao
    ps: acho q muitas meninas querem saber isso..rs

    • Cinthia Ferreira
      novembro 17, 2011 at 8:53 am

      Oi Elen, ;)
      Então, hoje em dia eu não faço mais academia devido a falta de tempo. O que eu faço é comer pouquinho durante toda a semana e liberar no fds mesmo ;)
      Ahhhh e eu não janto (como uma sopa leve ou uma papinha de nenem rsrs) E durante o dia bebo em média 3 xicaras de chá e tomo minhas vitaminas todo santo dia.
      Mas depois que parei de tomar pilula e coloquei o DIU, emagreci naturalmente uns 4 kilos.
      BJs

  • Elen
    novembro 20, 2011 at 4:04 am

    Serio? vc nao malha? :) vc ‘e linda assim magrinha..
    amo ser magrinha..aki no Canada nao ‘e facil mas faco q nem vc..so libero no fds..doce 1 x na semana..rs
    vc nao janta para nao engordar ou pq nao tem fome? rs
    q sopinha vc toma? knor ou feita em casa??
    q vitaminas e cha vc toma??
    bjaoooooo

    • Cinthia Ferreira
      novembro 21, 2011 at 11:04 am

      Não malho faz bastante tempo já…ahahah
      E não janto pq depois que fiz um tratamento com acupultura o chinês disse que não ajuda em nada comer tarde. Então como uma sopinha leve, fruta ou algo do tipo. No início foi complicado mas acostumei. Mas se eu vou para alguma festa ou reuniãozinha acabo comendo sim ;)
      E geralmente sopa feita em casa mesmo. Ervilha, mandioquinha…algo assim. Chá eu tomo os de fruta mesmo e sem acucar….amooooo chá. E vitamina não pq não posso tomar leite normal e não curto leite de soja..rsrs
      Bjs

  • Elen
    novembro 21, 2011 at 9:08 pm

    serio? o chines falou isso??
    vou comecar a tomar sopinha tb aki pq ta frio e ‘e mais leve..
    mas vc come algo com mais sustancia a tarde??
    quero parar de tomar adocante,preciso tomar cha sem acucar como vc..mas tem gosto??
    me passa receita da sua sopinha? tem so legumes ou macarraozinho???
    amo leite de soja..rs
    doce vc come na semana??

    • Cinthia Ferreira
      novembro 21, 2011 at 9:52 pm

      hehehh falou sim ;)
      Eu como bem no almoço, como fruta, ou um sanduiche a tarde e a sopa é bem variada. As vezes sopa de legumes com macarrao tb. A de maquioquinha é um creme de madioquinha cozida e temperada.
      Mas não me prendo muito a isso, só tem que ser leve para dormir sem a barriga cheia. E o cha sem acucar é muito melhor pq da pra sentir bem o gosto da fruta. Mas como doce todo santo dia sim…rsrs nao vivo sem chocolate.
      Mas ai é frio….vc precisa de mais sustância com certeza. O chines falava para tomar cafe de rei, almocar como um principe e jantar como um mendigo ;)
      Bjs

  • Elen
    novembro 24, 2011 at 9:58 pm

    Oii Ci
    fiz a sopinha ontem ficou muito boa e sustenta :)
    ruim q aki ta friooo e da fome..rs
    bom q posso tomar cha quentinho n’e? rs
    comprei de vanila ( cha preto e vanila) mas nao gostei
    aki nao acho cha de frutas acredita? no br tem tantos..sniff

    • Cinthia Ferreira
      novembro 24, 2011 at 10:31 pm

      Ai que bom ;) Mas no frio é fogo mesmo, acho que só sopa não rola. Mas tenta comer mais no almoço. E sério q nao tem cha de frutas ? Pq os que eu tomo são todos importados rsrs. Tem um de pessego da celestial que é ótimo. E eu prefiro os que nao sao de cha preto.
      Vou fazer receitiha de sopa no spicy :)
      Bjssss

  • Elen
    novembro 25, 2011 at 1:32 am

    Humm..vai fazer a receitinha da sopa no spicy? ebaaaaaa
    amo seus blogs..’e o blog e face q sigo diariamente
    qdo vai postar? o q vc come de manha e no almoco para manter a boa forma?
    :))))))
    quero corpinho q nem o seu..risos..
    aki tem cha de limao, cha verde de muitasss marcas..cha de spicy…
    nao tem cha gostoso q nem do brasil..pode?
    seus cha sao do EUA ou da Europa?
    estranho q aki nao vi pra comprar..snifff

    • Cinthia Ferreira
      novembro 25, 2011 at 9:47 am

      Obrigada ;) Assim que der um tempinho eu fotografo e coloco la sim. E sobre o que como o resto do dia não tenho regra não. Só nao como fritura quase nunca e carne tb quase nunca…mas nao sou parâmetro pq nao vivo sem doce…rsrs.
      E meus chá compro nos eua mas sao importados. Ou celestial ou twinings. E o unico cha nacional que eu tomo é de erva doce…ahahhah
      Bjs

  • Elen
    dezembro 6, 2011 at 7:43 pm

    Oii Ci
    eu nao como carne :)
    fritura tb ‘e raro
    jura q vc come doce sempre?? rs
    nao acredito
    minha sogra vem vindo para o canada..vou pedir pra ela meu cha de maca e canela..rs
    bjaoo
    ps> vc gosta de pao integral? come pao??

    • Cinthia Ferreira
      dezembro 7, 2011 at 7:36 am

      Como doco sim heheeh….e como pao normal;…massa normal…ehhehe um erro mas eu como ;)
      Ah eu acabei de fazer estoque do meu cha de pessego..rsrs
      Bjs

  • Vale quanto pesa | Profª Drª Selma Felerico
    junho 3, 2012 at 9:56 pm

    […] retirado ://www.makeupatelier.com.br/2011/11/vale-quanto-pesa/ acesso em 3 de junho Publicado em Consumo, Corpo Feminino Com a tag corpo feminino, joana vilhenha Novaes, SELMA FELERICO | […]